sábado, 9 de fevereiro de 2008

Sessão da Tarde

Click, click, click... nada que presta. Click, click, click... já assisti também.

Essa conformidade de encarar o que nos digere aos poucos é o que me mata. Mais uma vez deixo a vida brincar comigo nos sonhos de outra pessoa. Tentando e buscando o crescimento que deveria ter em mim.

A loucura chamada paixão, nublou o óbvio que sempre nos é dito por amigos, por parentes e principalmente pela consciência. Mas o não-sofrer dos demais, não podem ser as algemas que nos mantêm calados para a verdade.

Sofrer faz parte, mas viver infeliz não deve ser o destino de ninguém. Temos pouco tempo no conceito que chamamos de vida. E é um desrespeito desperdiça-la com desgastes e esperanças de um Oásis no horizonte.

Um dia de cada vez, guardemos as boas memórias (que não foram poucas) e estejamos ciente que o crescimento será recíproco.

Como me disse um irmão – Gosto muito de ti cara. Qual é o problema de se gostar também?

Click.

2 comentários:

Mah disse...

Há um meio de ser bom de novo. Há mil maneiras de levar a vida. Eu escolhi o caminho da felicidade.

=]

um beijão irmão!

[angelica] disse...

acontece que escrever já é um desabafo.

o pesar do outro não pode ser algema pra ninguém:
as algemas já são o próprio pesar.

depois, me conta o segundo passo, o pós-escrita. :)

beijo.