segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Academas

Ao caro cidadão que com a pena
Abriu as portas necessárias para seguir adiante

Permitindo ao cego a guiar-se
Acima do receio do peito aturdido

Permitindo encarar as trevas
e a luz com a diletante jovialidade

O caríssimo obrigado
Deste eterno e atento amigo

ao meu irmão, Pedro Mesquita

Um comentário: