segunda-feira, 5 de maio de 2008

A camisa 11

Estive semana passada no Cruzeiro, buscando um novo apartamento para morar. Este bairro tipicamente carioca, dentro de brasília, me atrai por memórias e as pessoas que fazem parte dela e uma cena em uma de suas quadra me fez rir demais.

Um casal de namorados que não deveriam ter mais do que 14 anos estavam discutindo depois da escola (os dois estavam de uniforme). Aparentemente ele havia feito uma enorme cagada e a menina magoada, não dava nenhum sinal de perdão aos seus apelos, pegou sua mochila, seu fichário e foi saindo de nariz em pé. Então o menino grita, sem nenhum pudor a quem esteja a sua volta:

“Tereza! Depois de você, bem depois... Só o Flamengo Tereza!”

...

Este domingo de 04 de maio, vai ficar marcado para mim. Sempre escuto uns coroas falando de datas especiais de futebol, de quando seu time jogou para caralho e teve grandes conquistas. Ontem foi um dia como este, o Flamengo consegui ser Bi-campeão pelo campeonato carioca em uma campanha que está deixando saudades no partir de Joel-Patuá-Cachaceiro-Prancheta-Santana.

Como toda a vitória de final de campeonato deveria ser, essa não foi fácil. Tudo parecia ganho, um gol de vantagem até que Bruno lembrou que não tinha almoçado antes da partida devorando aquele maravilhoso frango. Tenho para mim que isso apenas foi praga de goleiro usando qualquer número que não seja o 1, deixe isso para o Rogério Ceni porra!

Tudo igual até que no segundo tempo, até a substituição do mestre Joel e a entrada daquele que já não tem mais nome além de “O iluminado”. O baiano Obina deixa a vantagem para o Flamengo, põem o Maracanã no chão calando o Botafogo nos primeiros 3 minutos e criando o hino de Bi-campeão antes mesmo do fim do jogo.

Bruno compensa com sua camisa verdadeira e suas defesas, assim como Tardelli e Obina marcando mais dois lindos gols antes do jogo acabar. Assim marcam a confirmação do Bi-campeonato no 3x1, para ninguém dizer que ganhou somente por conta da vantagem.

Seria um dia feliz para quem está apaixonado pelo futebol e amando o Flamengo, mas receber uma camiseta com o selo do clube de regatas e o rasgado 11 nas costas... Isso beira a premonição e quase fez esse idiota cair em lágrimas. Usaria mesmo perdendo. Mas por hora? Usarei ganhando rapá, porque ninguém mais pára esse meu Flamengo!

Quanto a Tereza? Sim. Ela voltou sorrindo para o seu flamenguista arrependido. Salve Jorge!

Um comentário:

Anna Raíssa disse...

jorge ben convence qualquer tereza...
:D