segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

Tormenta

Quero a ânsia de se encontrar vivo. A sede da saliva da outra em meus sonhos. Os músculos trêmulos como os dos adolescentes ao aproximar-se da menina que deseja.

Uma navalha para que possa cortar minha pele e verter o rubro que me dê certeza, na dor, que estou vivo.

Quero os sonhos secretos oras... O machismo mascarado nos olhos dos “homens corretos”. O grito do mundo, o olhar do descarado, o passar de mão em estranhas e as encoxadas nos coletivos.

Ahhh... O desejo do falso amigo que somente quer dormir com todas as mulheres do mundo. Aquele que secretamente ouve seus problemas, esperando brechas para dormir com elas.

Mandar para o inferno os que desejam bom dia no elevador e que sempre falam as mesmas merdas sobre o clima. Pular a catraca do prédio ao invés do eterno bip do cartão e entrar chutando a porta do trabalho.

Quero assaltar o caixa do meu escritório, mandar para o inferno o broxa do meu chefe, apagar os arquivos dos clientes, rasgar os cheques, cuspir na cara da copeira... da copeira não! Gosto da Jusara, ela parece mais disposta a destruir tudo do que eu.

3 comentários:

[angelica] disse...

alguma coisa que me faça sentir viva.
que seja dor.
que seja qualquer coisa que ainda se sinta.

ah...
e eu queria estar disposta a destruir tudo.

Mah disse...

welcome to blogspot.com

=p

esse escrito aí eu já conhecia
;)

Adivinhaaaaaaaaaa!!!!! disse...

Rsrsrsrsrsrsrhihihihihihihi
Eu durmo com ele!