quarta-feira, 29 de julho de 2009

Prometeu


"Encobre o teu céu ó Zeus com nebuloso véu e, semelhante ao jovem que gosta de recolher cardos retira-te para os altos do carvalho ereto mas deixa que eu desfrute a terra, que é minha, tanto quanto esta cabana que habito e que não é obra tua e também minha lareira que, quando arde, sua labareda me doura. Tú me invejas!

Eu honrar a ti? Por quê? Livras-te a carga do abatido? Enxugaste por acaso a lágrima do triste?

Por acaso imaginaste, num delírio, que eu iria odiar a vida e retirar-me para o ermo por alguns dos meus sonhos se haverem frustado?

Pois não: Aqui me tens e homens farei segundo minha própria imagem: Homens que logo serão meus iguais que irão padecer e chorar, gozar e sofrer e, mesmo que forem párias, não se renderão a ti como eu fiz"

Goethe

2 comentários:

Mah disse...

forte texto.
forte imagem.

sentimentos fortes....

Fogoió disse...

Foda.