segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Sentir

- Não me importa se você fica ou não com mil pessoas.
- Então porque estamos discutindo?
- Não estamos discutindo.
- Então posso ler um livro ou assistir tv?
- Só tente fazer isso.
- Beleza... O que podemos fazer então?
- Não sei! Apenas tentar arrumar as coisas.
- Não tem o que arrumar, não tem sentido, estamos seguindo uma trilha aonde iremos estragar tudo no final das contas.
- Só queria descobrir uma forma de não nos machucarmos.
- Um pouco tarde não é?

...

- Queria sentir que sou importante. Queria ter certeza que estamos apostando na medida certa.
- Isso não existe.
- Só não quero dar nome para nada.
- Sou feliz ao lado de qualquer pessoa por alguns momentos.
- Estou indo.
- E feliz, com você, mesmo quando você está longe.
- ...
- Odeio me sentir assim. Odeio sentir saudades de você, de seu cheiro, de seu gosto de seu...
- Eu também.

...

- Vou para casa.
- Dorme aqui hoje?
- Não. Troque os lençois primeiro e talvez eu venha dormir amanhã.
- ...
- Te amo.

2 comentários:

Tainá Falcão disse...

Adoro os relatos/desabafos que falam de amor. Vou dar um pitaco: essa romance já caiu no tédio. Para fugir da solidão, continuaremos fingindo que está tudo bem.

Parabéns!

passarinho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.