quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Brigadeiro e música

Nadir estava com a colher de brigadeiro ainda presa pelos dentes enquanto procurava dar o play no som. A bateria era tão fraca e ela tinha comido tantas colheres que nem sabia se a onda tinha começado ou se era hora de trocar de controle ou quem sabe de som.

- Por que diabos a gente inventou de comer isso mesmo?
- Você disse que queria ficar doida não foi? Ainda estou para conhecer uma forma melhor de bater do que comendo.
- Mas agora fiquei com vontade de fumar. Quero um pouco de fumaça ou pelo menos alguma outra coisa...
- O que você tá fazendo com esse controle?

A primeira crise de riso começou nessa hora.

- Acho que estou tentando trocar a música. O que estamos ouvindo?
- Tom Waits... Acho.
- Tá. Eu gosto, não conhecia.
- A gente ouvia quando estava ficando.
- É?

Marina ficou sem graça e era ainda mais bonita quando estava irritada ou sem graça.

- Você está ficando com alguém?
- Para quê?
- Sei lá... Por que estou perguntando? Ou por que ficar com alguém?
- Não sei. Me dá um pouco do brigadeiro?
- Você não respondeu.
- Acho que quero um pouco de vinho.
- Passa um café para gente?
- Café?
- É que ainda estou com vontade de fumar.

A taça de vinho estava manchando a toalha e a mesa, mas a atenção de Marina era na xícara com uma fumaça indo de encontro aos lábios de Nadir.

- Fiquei com a Dri na semana retrasada.
- Quem?
- Dri. A amiga da Fabiana.
- Por que você tá me falando isso?
- Você me perguntou se eu estava ficando...
- Ah, tá! Com a Dri é? Ela é bem estranha... Não gosto dessa menina!

Ela senta ao lado de Marina, deixando a coxa bem próxima do joelho levantando um pouco mais ao vestido. Ou apenas estava distraída talvez.

- Você merece uma pessoa legal e não essas chatinhas cheias de paranoias. Você é bonita, beija bem e mega engraçada. Pelo menos quando se esforça um pouco.
- Eu me esforço um pouco toda manhã.

Nessa segunda crise de riso Marina deixa seu olhar prender um pouco mais no sorriso. Aqueles exatos segundos a mais que fazem perceber que você está bancando a idiota.

- Ah, Nina... Nossa ainda tenho tanto tesão por você sabia?
- Só quando tá alta...
- Quê?
- Me dá um beijo?

2 comentários:

Pedro disse...

porra Zé...vc já não mudou de casa? que historinha hein...cadê os detetives nos inferninhos porra!!

Sentimental ♥ disse...

tesão vem toda hora, o q falta é paixão... [pelo menos aqui]